14 thoughts on “Vídeo da Mata Nativa de Fruta de Sabiá.

    • Zé Renato says:

      Olá Cássio, obrigado pelo contato. Envio mudas ou sementes para todo Brasil. Recebeu em seu e-mail, todos os detalhes para que faça seu pedido. Fico no aguardo de novo contato e qualquer dúvidas estou às ordens.

  1. Carlos Eduardo says:

    Em observações em Ubatuba-SP, colegas e eu, pudemos observar que, além de produzir frutos para as aves em geral, as plantas da fruta-do-sabiá têm flores muito atrativas aos beija-flores e sebinhos, mais um motivo para se propagar esta espécie nas cidades e jardins.

    • Zé Renato says:

      Olá Carlos Eduardo, obrigado pelo contato. Realmente muitas são as contribuições que esta frutinha (quase o ano inteiro) e suas flores (4 vezes ao ano) para a natureza e meio ambiente. Boas observações. Mande fotos dos arvoredos se puder, via e-mail para publicarmos no site! Obrigado pelo contato.

    • Zé Renato says:

      Olá Marcio, obrigado pelo contato. A planta é muito recomendada para áreas degradas, e não precisa ser molhada todo dia, gosta de pouca água. Quando ela recebe muita água constantemente fica amarelada, mas é uma planta nativa, que desenvolve em qualquer terreno e clima, gosta de sol e pouca água. A dica é regar a muda no máximo uma vez ao dia.

    • Zé Renato says:

      Olá Carlos Eduardo, obrigado pelo contato. Tentei lhe enviar um e-mail mas o email que preencheu não está recebendo mensagens. Você pode conferir as opções para fazer seu pedido em http://frutadosabia.com.br/loja-comprar-mudas/
      O valor do frete e embalagem já constam no valor do pedido, não há acréscimos para envio. As mudas são enviadas via sedex e muito bem protegidas.
      Obrigado e qualquer dúvida estou à diposição.

  2. Joana Lee says:

    Bom dia, eu também sou apaixonada por pássaros e me encantei com esta mata nativa de fruta de sabiá. É realmente maravilhoso.
    Onde foi gravado este vídeo? Já vi algo parecido no ES.
    Parabéns pelo seu trabalho.

    Att, Joana

Deixe um comentário para Marcio Lutterbach Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *